terça-feira, 24 de abril de 2007

DIÁRIO INTERMITENTE - IV

Vou outra vez à Fnac para ver como está situado o meu livro. Já ganhou galões. Passou da prateleira de baixo para a prateleira de cima. Está agora bem exposto, e à vista e também sobre a mesa.
Tenho a certeza que este livro se vai vender bem, ultrapassando todas as expectativas. O que é preciso é que os jovens falem nele, o resto é comigo. A minha literatura com osso continua a propor à juventude o caminho do prazer, do desejo, do riso e da alegria, do sexo...O que é preciso é que o descubram nas prateleiras, nas bocas dos amigos, digo eu aos estorninhos.

3 comentários:

Nuno David disse...

Acabei de ler o teu livro O Sol Da Meia-Noite. Gostei muito.

totoia disse...

Comecei agora a lê-lo...

Abssinto disse...

Comprei hoje, na Bertrand do Vasco da Gama. Primeiro, porque gostei muito de uma crítica que li, segundo, porque sou maluco por livros de contos. Vou começar hoje a ler.

E vou passando por aqui.

obrigado.